Mostrando postagens com marcador protesto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador protesto. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

SÃO JOÃO DA MATA ADERE À PARALISAÇÃO PROMOVIDA PELA AMM CONTRA GOVERNO





A Prefeitura de São João da Mata é uma das 21 administrações do Sul de Minas Gerais que estão fechadas em protesto nesta segunda-feira (24), contra os governos federal e estadual. Com o lema "As prefeituras param por você, por um repasse mais justo", o movimento faz parte de uma campanha da Associação Mineira dos Municípios, e segundo a entidade tem o objetivo de defender os interesses das cidades e da população com uma mobilização em todo o estado.
Segundo a associação, a paralisação acontece somente por um dia. Além de São João da Mata, estão entre as cidades que aderiram ao protesto Espirito Santo do Dourado, Turvolândia, Caxambu, Andradas, Guaxupé, Elói Mendes, Carmo do Rio Claro e São Gonçalo do Sapucaí, entre outras.
Entre as reivindicações das prefeituras estão a recuperação do Fundo de Participação de Municípios (FPM), a redistribuição da arrecadação de impostos, definição dos repasses pendentes dos convênios entre a União, estados e municípios e revisão do pacto federativo.
Todos os órgãos municipais estão fechados, inclusive os do setor de Educação e de Saúde. Os casos de emergência e urgência estão sendo atendidos por uma ambulância que está de plantão, encaminhando pacientes para Pouso Alegre ou Poço Fundo.


sexta-feira, 7 de março de 2014

OBRA PARALISADA EM ESTRADA GERA PROTESTO

Moradores do Distrito do Douradinho (municipio de Machado) e também de Carvalhópolis e Cordislândia se reuniram na manhã desta sexta-feira (7) para um protesto contra a paralisação da obra de pavimentação de uma estrada, que liga as três cidades. Os trabalhos deveriam ter começado em agosto de 2012, mas agora a empresa responsável pela execução está retirando o maquinário e desfazendo o canteiro de obras, após apenas ter demarcado a via e começado a preparar as pedras para a cobertura.
No protesto, os moradores bloquearam o caminho, com pneus em chamas, na esperança de chamar a atenção das autoridades locais e regionais para o descaso do governo do estado, que segundo informações simplesmente não liberou a verba que seria destinada à realização do asfaltamento.
Alguns políticos também se fizeram presentes, e o ato contou com ampla cobertura da imprensa local e regional. A nossa equipe também esteve no local, e você terá detalhes na edição da Gazeta Machadense de amanhã e também no próximo JPF. Aguarde e confira.






terça-feira, 30 de julho de 2013

MÉDICOS PARADOS NO MUNICÍPIO

Mesmo com a paralisação, Posto ficou lotado por conta de consultas já marcadas
Médicos de pelo menos 16 estados e do Distrito Federal devem suspender nos próximos dois dias (30 e 31) os atendimentos na rede pública e privada de saúde, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira (29) pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam). Em outros quatro estados, a previsão é de que os profissionais vão parar as atividades somente por um dia. O protesto é para marcar posição da categoria contra atos do governo federal, como a contratação de profissionais estrangeiros pelo programa Mais Médicos.
Apesar da greve, a associação que representa 53 sindicatos ligados à classe médica orientou para que casos de urgência e emergência sejam atendidos. De acordo com a Fenam, deverão aderir aos dois dias de paralisação desta semana os médicos de Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e Sergipe.
Como cada associação estadual tem autonomia para decidir a extensão da greve, os sindicatos de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Tocantins optaram por participar da mobilização da Fenam apenas na quarta-feira.

Em Poço Fundo, os PSF´s não estão funcionando. Os profissionais aderiram ao movimento, mas segundo alguns funcionários boa parte deles só o fez por pressão do Conselho Regional de Medicina, e não por concordarem com a paralisação. No Posto de Saúde, consultas agendadas foram mantidas, e a instituição estava lotada nesta manhã. Já no Hospital de Gimirim, havia previsão de que somente fossem atendidos casos de urgência e emergência, mas desta vez o atendimento está ocorrendo normalmente.
Até o momento, não foi registrado nenhum dissabor por conta do ato de protesto, e acredita-se que assim permanecerá até amanhã, pois apesar de a quarta-feira geralmente ser de grande procura nos PSF´s, os moradores estão sendo avisados sobre a paralisação.
Fica então o recado. Se você precisa de consultas nos Postos do Programa Saúde da Familia, deixe para procurá-los na próxima quinta-feira, e se seu problema for uma gripe, uma dorzinha crônica, uma virosezinha ou algo parecido,  mesmo com o atendimento normal, melhor esperar se quiser procurar o Pronto Atendimento, só por via das dúvidas.

Somente enfermeiros e outros funcionários estarão trabalhando nos postos do PSF nesta terça e na quarta-feira

quinta-feira, 11 de julho de 2013

POÇO FUNDO MARCA PRESENÇA NO DIA NACIONAL DE LUTA

Diversas categorias promovem, hoje, greves e manifestações em todo o país, no movimento denominado Dia Nacional de Luta. Atos estão ocorrendo nas principais cidades do Brasil, com apoio de sindicatos e movimentos. Em várias capitais, rodovias e principais ruas estão bloqueadas.
Em Poço Fundo, servidores e alunos da Rede Estadual de Ensino marcaram suas participações no movimento com uma manifestação pacífica pelas ruas da cidade. Cerca de 70 pessoas participaram da caminhada, que seguiu o mesmo trajeto da quinta-feira passada (4), passando pelos principais pontos do Centro e diante das três escolas estaduais do município. Alguns professores que haviam composto o grupo da semana anterior desta vez optaram por não participar do protesto, o que gerou revolta por parte de alguns colegas, mas a falta foi compensada pela presença de um animado e barulhento grupo de alunos, que saiu em apoio aos seus mestres com gritos de ordem e apitos, chamando a atenção da população para as más condições da Educação no estado.
A Policia Militar acompanhou toda o ato, garantindo o fluxo do trânsito e a segurança dos participantes.
Detalhes na próxima edição do JPF.




















quinta-feira, 4 de julho de 2013

"LUTO" PELA EDUCAÇÃO PERCORRE RUAS DA CIDADE

Servidores da Rede Estadual de Ensino promovem, nesta quinta-feira, um dia de paralisação total das atividades. A ação faz parte do movimento por melhores condições da Educação em Minas Gerais, e é organizado pelo Sind-Ute (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais).
Em Poço Fundo, professores se reuniram diante da prefeitura e, em seguida, saíram em passeata pelas ruas da cidade, passando diante das três escolas estaduais do município. Com faixas, cartazes, apitos e até um caixão para representar a morte da Educação, eles conseguiram chamar a atenção da população para suas reivindicações.
Dentre as principais reclamações dos profissionais, estão o não pagamento do Piso Salarial, o congelamento das carreiras, o não cumprimento de acordos firmados entre o governo e a categoria e o não investimento do minimo de 25% na Educação, como manda a Carta Magna.
Uma assembléia, a ser realizada às 14h00 em Belo Horizonte, definirá os rumos do movimento.
A Policia Militar acompanhou a caminhada de perto, garantindo a segurança dos manifestantes.
Detalhes no próximo JPF.




quarta-feira, 3 de julho de 2013

REDE ESTADUAL DE ENSINO PROMOVE PROTESTO NESTA QUINTA

Praça Tancredo Neves, palco de várias atividades cívicas, será o ponto de encontro dos manifestantes

Professores, funcionários e até aposentados da rede estadual de ensino cruzarão os braços nesta quinta-feira (4), em protesto por melhores condições na Educação em Minas Gerais. As três escolas estaduais de Poço Fundo aderiram ao movimento, e os profissionais deverão se reunir defronte à Praça da Prefeitura, às 7h00 da manhã, para apresentar suas reivindicações.
As principais reclamações são contra o não pagamento do Piso Salarial, previsto em lei federal, o congelamento das carreiras, o não cumprimento de acordos firmados entre a categoria e o governo estadual, e o não investimento de no mínimo 25% na Educação, como manda a Constituição.
De acordo com os organizadores do movimento, toda a comunidade escolar está convidada a participar.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

MANIFESTAÇÃO PACÍFICA MOVIMENTA MACHADO

Machado entrou para a lista de cidades que colocaram seu grito nas ruas, para protestar, apoiar as manifestações em nível nacional e dar espaço às reivindicações da população local. Cerca de 600 pessoas, a ampla maioria jovens, se reuniram na praça São Benedito e sairam em passeata pelas ruas da cidade até o Epidauro da Praça Antônio Carlos, na passeata "Muda Machado, Muda Brasil". O grupo até parecia pequeno, mas não ficou devendo em proporção para os grandes centros, e fez tanto barulho que conseguiu chamar a atenção de qualquer passante e morador que preferiu ficar em casa.
A caminhada ocorreu sem alterações e foi acompanhada pela Policia Militar, que não precisou intervir em nenhum momento. Um pequeno grupo infiltrado até chegou a tentar provocar ações mais violentas, mas foi contido pelas vaias dos participantes.
Detalhes em nossas publicações impressas do grupo JPF.