Mostrando postagens com marcador briga. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador briga. Mostrar todas as postagens

sábado, 18 de janeiro de 2014

MANHÃ VIOLENTA EM ALFENAS

Portal Alfenas Hoje
Atualizada às 17h00 de 18/01/2014

A manhã deste sábado (18) não começou muito bem em Alfenas. Três homens foram esfaqueados por volta das 6h30 na avenida José Paulino da Costa, nas proximidades do Campo do América. Ederson Vieira, de 25 anos (foto), morreu no local, e os outros estão internados no Hospital Universitário Alzira Velano.
O motivo seria totalmente fútil. Segundo primeiros levantamentos junto a testemunhas, a briga teria sido gerada por uma suposta tentativa de acerto de "programa" sexual em um outro local. O homem que foi morto, os feridos e o suspeito de ter cometido o crime teriam entrado em disputa para "fechar negócio" com alguns travestis, que optaram por aceitar a proposta das vítimas. Por conta disso, um dos homens resolveu pegar uma faca e foi, de táxi, atrás do grupo, e quando o encontrou partiu para o ataque contra Ederson.
O rapaz foi atingido no braço, nas costas e no tórax, do lado esquerdo. Seu amigo  R.M.D. (34 anos), por sua vez, tentou separar a briga mas sofreu uma perfuração no abdomen. Ele mesmo caminhou até o hospital, onde foi imediatamente transferido para o centro cirúrgico. Irmãos de Ederson teriam interferido na briga, e um deles também acabou atingido no abdomen. No entanto, ambos haviam saído da cena do crime e corrido para a casa deles, tendo até trocado de roupa. A Policia Militar os localizou e os dois foram conduzidos para prestar esclarecimentos, por conta da atitude suspeita.
A PM está à procura do autor. O assassino, que segundo as testemunhas aparenta ter cerca de 30 anos, usou uma faca tipo peixeira com cabo branco na ação. De acordo com a Policia, ele teria tomado o táxi acompanhado por outro homem, que também não foi identificado.
Na casa dos irmãos do morto, a perícia recolheu também uma tesoura e uma faca, que podem ter sido utilizadas na confusão, além roupas sujas de sangue.
Câmeras de segurança flagraram toda a confusão, mas a baixa qualidade das imagens não permite a identificação definitiva do autor, que até o fechamento desta nota ainda não havia sido preso. As vitimas que ficaram feridas não correm risco de morrer.

Fotos: Minas Acontece



segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

JOVEM É DETIDO PORTANDO MACHADINHAS

Um jovem foi detido pela Policia Militar em Poço Fundo na madrugada de domingo (22), armado com duas machadinhas. A suspeita é de que G. L. (19 anos) pretendia acertar contas com desafetos no bairro Mãe Rainha, e para isso iria utilizar as inusitadas armas.
A PM efetuava blitz pelas ruas da cidade, com apoio de policiais de Alfenas e Machado, e nesta data haviam três motos envolvidas nos trabalhos.
Uma denúncia chegou ao 190, dando conta de que um  homem armado estaria numa motocicleta Honda CB Strada, de cor preta, rodando pelas ruas da cidade. 
Os militares o encontraram no bairro Mãe Rainha e deram ordem de parada, mas o rapaz não obedeceu e fugiu. Uma perseguição foi iniciada, e durante o trajeto o suspeito tentou dispensar as machadinhas, que foram recolhidas.
Não demorou muito e um dos soldados do moto-tático conseguiu abordá-lo, já no trevo da cidade. Ele foi encaminhado ao quartel local e assinou um termo de comparecimento, por ordem do delegado de plantão. O suspeito e outros envolvidos na história foram ouvidos na manhã desta segunda-feira, na Delegacia de Poço Fundo.

Muita gente pensou que o rapaz portava armas de fogo, e quando as machadinhas foram apreendidas até mesmo os policiais militares ficaram surpresos

domingo, 13 de outubro de 2013

VIOLÊNCIA BANALIZADA - 13/10/2013

Hoje em dia, qualquer motivo serve para explosões de violência, sem qualquer importância dada para a vida do ser humano. Foi o que aconteceu na madrugada deste domingo em Poço Fundo, quando um jovem se envolveu em discussões numa casa de eventos e depois foi agredido brutalmente do lado de fora. As marcas ficaram numa esquina próxima ao estabelecimento. Literalmente, voltamos aos tempos das cavernas, ou pior. Talvez já tenha passado da hora de se fazer algo contra essa banalização da violência.